Mas afinal o que é Homeopatia?

2 jun

Puxa faz tempo que não posto nada e como havia prometido anteriormente, vou explicar um pouco sobre o que é a homeopatia.

Infelizmente a homeopatia é vítima de muito preconceito, pois ela é muito diferente do que estamos acostumados, e isso gera um medo e desconfiança nos que não se aprofundam no seu estudo.

Um dos grandes pontos que vai totalmente contra a medicina ocidental, é que para a homeopatia não existe doença e sim doentes. Você deve estar perguntando mas como assim né? Bom a doença que apresentamos são apenas sinais que o corpo indica que algo mais não está certo, cortanto o sinal não quer dizer que você curou o que realmente está doente. Se entrou uma farpa de madeira enorme no seu dedo, adianta só tomar remédio para o dedo inchado sem tirar a farpa?

E esse é um dos principais pontos que fica díficil dos leigos entenderem a homeopatia. Fica díficil falar um único remédio que sirva para gripe, dor de barriga… É necessário fazer uma avaliação de como está o doente para escolher o remédio mais certo, porque para os homeopatas não importa tanto se você está com gripe, refriado ou algo assim, o mais importante é ele saber como você individualmente está. E sim quase tudo pode ser tratado por homeopatia, só é necessário encontrar um bom homeopata, com experiência e que seja qualificado.

Outro diferencial da homeopatia, são seus remédios, eles são extremamente diluídos e é feito um processo para maximinizar o pontencial de cura da substância. E isto gera muito preconceito nas pessoas materialistas que se esquecem que existe a física quântica de partículas e energia, bom mas enfim, a diluíção serve para se minimizar aqueles efeitos indesejados que estamos cansados de conhecer dos remédios para só obtermos a parte boa das substâncias.

Sabendo disso tudo já dá para começar a entender o que é a homeopatia e perder um pouco a sua desconfiança.

Anúncios

Campanha Saúde não tem preço

15 abr

Vocês ouviram  falar da  Farmácia Popular do Brasil? O Governo criou este programa para ampliar o acesso da população aos medicamentos para as doenças mais comuns entre os cidadãos . Existem dois tipos de Farmácia Popular do Brasil: A rede própria e a rede credenciada com farmácia e drogarias de rede privada . Para saber se uma drogaria ou farmácia está credenciada basta observar se esta possui o banner  ” Aqui tem farmácia popular”.

Para conferir os endereços das farmácias cliquem nos links abaixo:

rede própria:

http://portal.saude.gov.br/portal/saude/visualizar_texto.cfm?idtxt=30301

rede credenciada

http://www.saudenaotempreco.com/encontre_aqui.php

Desde o dia 14 de fevereiro o governo lançou a campanha Saúde não tem preço, na qual oferece medicamentos para hipertensão e diabetes gratuitamente. Estes medicamentos são fornecidos para 30 dias. Para adquiri-los basta levar receita médica( validade 4 meses), documento com foto e número de CPF.

Para saber mais sobre a campanha e a lista de medicamentos acesso o site:

http://www.saudenaotempreco.com/o_programa.php

A polêmica dos antibióticos

25 nov

 

Fonte :http://www.infobarrel.com/Media/drug_resistant_bacteria

Ultimamente se ouviu  falar muito sobre a superbactéria KPC que levou várias crianças à morte. O surgimento dessa superbactéria e de outras resistentes ocorre devido ao mal uso de antibióticos.

Para conter esse uso inadequado, a ANVISA publicou a RDC 44/2010 em que todos os antibióticos passam a ser controlados . Assim, a partir do dia 28 de novembro de 2010, os antibióticos só poderão ser comprados, com a apresentação de receita de controle especial em duas vias e documento de identidade. A primeira via ficará retida na farmácia e a segunda via devolvida ao paciente com carimbo para comprovar atendimento. Além disso, a receita terá validade de no máximo dez dias .

Assim, não será mais possível chegar ao balconista da farmácia e pedir um antibiótico sem receita como era antes, o paciente deve ir obrigatoriamente ao médico que indicará o melhor antibiótico, se é que realmente há necessidade do seu uso.  Há muita polêmica perante essa nova publicação, confronto de interesses entre indústrias, farmácias e governo, já que a venda dos antibióticos terá uma considerável queda, além de toda a adequação de mudança de embalagens e seu controle nas drogarias. As pessoas também possivelmente enfretarão problemas para aceitar e mudar a cultura de comprar medicamentos sem receita, devido a dificuldade de encontrar médicos no serviço público. Mas uma coisa é certa, é uma tentativa de tentar frear o uso inadequando de antibióticos e evitar o surgimento de bactérias resistentes.

 

 

Comer menos para viver mais!

26 out

Diversas pesquisas científicas já foram feitas, e todas comprovam que se quisermos viver mais e melhor precisamos comer menos, e as vantagens de se comer menos não param aí, afinal não existe fórmula mágica para emagrecer, a não ser a de comer menos.

Mas é mais fácil acreditarmos que para emagrecer basta tomar uma pílula e pronto,  e para se viver mais precisamos nós consultar naquele médico ortomolecular com a consulta caríssima e onde o remédio fica ainda mais caro.

Esses medicamentos utilizados para o emagrecimento são perigosos,  devem ser usados com muita cautela sempre e somente com indicação médica consciente, sem contar que causam dependência e não passam de uma muleta, ou seja, enquanto você tomar o medicamento você fica magra, depois que para de tomar engorna e normalmente o dobro.

Reflita um pouco sobre isso: A vida é muito simples, nós que complicamos demais.

Sustentabilidade X Farmácia

5 out

Semana passada participei do XVI Congresso Paulista de Farmacêuticos e um dos temas foi a Sustentablidade. Hoje em dia podemos ver essa palavra em todas a mídias e das mais diversas formas, mas afinal o que é sustentablidade?
Segundo a wikipédia Sustentabilidade é uma forma de pensamento sistêmico , relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana. Colocando em termos simples, sustentabilidade é promover o melhor para as pessoas e para o ambiente tanto agora como para um futuro indefinido.
Para um empreendimento humano ser sustentável deve ter 4 requisitos básicos:

-ecologicamente correto;
-economicamente viável;
-socialmente justo;
-e culturalmente aceito.

Pensando nestes conceitos, fiquei pensando em como nós , integrantes dessa sociedade podemos agir de maneira sustentável.

 

Aqui coloco algumas idéias :

-Reciclagem de caixas de medicamentos, embalagens plásticas de xampus e cremes, vidros de medicamentos.

-Quando for jogar fora um medicamento, não jogar no lixo, levar a farmácia de uma UBS (Unidade básica de saúde) mais próxima para que este medicamento seja descartado de forma correta.

-Quando não for utilizar mais um medicamento, doar para a farmácia de uma UBS.

-Comprar produtos de empresas que apoiam a sustentabilidade

-Comprar produtos biodegradáveis

-Reutilizar sacolas plásticas de supermercado ou farmácia. Se possível levar uma sacola de casa ou utilizar as ecobags.

-Adotar um animal de estimação, além de dar um lar contribuímos para que a cidade tenha menos animais soltos e transmitam doenças.

Todo medicamento é um remédio , mas nem todo remédio é medicamento

9 set

Apesar de sempre usarmos estas duas palavras como sinônimos no nosso dia a dia, a palavra remédio tem um sentido mas amplo ; remédio é tudo aquilo que serve para curar, aliviar a dor ou doença.

Assim, uma sessão de acupuntura por exemplo é um remédio, mas nunca será um medicamento.

A radioterapia usada no tratamento do cancêr e aquele cházinho que a gente prepara em casa também é remédio.

O medicamento é  um produto farmacêutico, tecnicamente obtido ou elaborado, com finalidade profilática, curativa, paliativa ou para fins de diagnóstico, portanto também é um remédio. São exemplos de medicamentos: paracetamol, sinvastatina, tamoxifeno etc.. 

 Fontes das figuras :

figura 1http://www.espacopilatespe.com/sys/default.asp?id=23&mnu=23

figura 3  www.rbrnoticia.com.br/?p=9653

Meus olhos estão me matando! Já sei vou usar um colírio.

27 ago

“Sinto que meus olhos estão queimando, eles estão secos e vermelhos, também com essa baixa umidade no ar e poluição não tem jeito, ahh mas já sei, vou resolver esse problema rapidinho, é só passar na farmácia lá da esquina e vou comprar um colírio bem forte para usar e vai ficar tudo bom.”
Quantos de vocês não pensaram algo semelhante? Com esse ar seco dá vontade de pingar o frasco inteiro do colírio nos olhos né? Mas infelizmente até os aparentemente inofensivos colírios usados sem a indicação correta trazem perigos para sua saúde.
Existem vários tipos de colírios: temos o lubrificante, antibiótico, com corticóide, anti-inflamatório, anti-alérgico, anéstesico entre outros. Muitos esquecem que o colírio não é só uma aguinha e que possui substâncias ativas. O uso em excesso de alguns tipos de colírios podem causar catarata ou glaucoma, que levam a cegueira. Ou seja o inofensivo colírio se usado da maneira errada pode te deixar cego. Fora o perigo de qualquer automedicação, você pode mascarar um sintoma de alguma doença mais grave.
Então a recomendação neste clima seco, é usar soro fisiológico coloque num algodão e limpe os olhos, e tente deixar o ambiente mais úmido, espalhe baldes de água e toalhas úmidas ou use um umidificador de ambiente. Bem mais seguro e simples, e assim você não corre o risco de ficar cego ou ter maiores problemas.

%d blogueiros gostam disto: